Disfunção sexual masculina

 

As Disfunções Sexuais Masculinas podem afetar o desejo sexual e/ou alterar as respostas psicológicas e fisiológicas do corpo frente aos estímulos sexuais, causando sofrimento e insatisfação não só para pessoa, como também para o seu par, impedindo o homem de ter uma vida sexual saudável e prazerosa. A disfunção sexual pode atingir qualquer homem em qualquer idade, sendo mais comum do que se imagina. Cerca de 30 milhões de homens brasileiros possuem algum tipo de problema sexual.

Entre os principais tipos das disfunções sexuais encontram-se:

Disfunção Erétil (Impotência, perda de potência)

Existe quando há uma incapacidade persistente ou recorrente (repetida) de manter uma ereção (manter o pênis ereto) até a conclusão da atividade sexual. A ereção vai depender do bom funcionamento dos sistemas neurológico e vascular, dos hormônios sexuais e do estado psicológico do homem. É a importante interação da mente com o corpo.

Disfunção ejaculatória (Ejaculação precoce – Ejaculação retardada)

A ejaculação precoce ocorre quando há uma percepção, tanto do homem quanto de sua parceira, de que a ejaculação foi mais rápida que o esperado, não foi suficiente para satisfação do casal. É importante ressaltar que não existe uma definição de tempo, mas o tempo tem que ser suficiente para satisfação de ambos. A demora em atingir o orgasmo acompanhado da ejaculação também pode ser motivos de inadequação do casal, o que é conhecido como ejaculação retardada e também é tão comum quanto a ejaculação precoce.

Disfunção de orgasmo (Anorgasmia- inibição do orgasmo)

A Anorgasmia (Inibição do Orgasmo) ocorre quando o homem é incapaz de atingir o orgasmo. Pode haver um atraso ou ausência recorrente ou persistente do orgasmo, mesmo após estímulo sexual adequado.

Disfunção da Libido

Tanto a diminuição da libido quanto o seu aumento exagerado podem comprometer a vida sexual do homem, deixando-o insatisfeito e acarretando problemas com sua parceira.

Algumas disfunções estão interligadas e suas causas tanto podem ser orgânicas (quando o aparelho sexual ou as substâncias importantes para seu funcionamento não estão trabalhando bem), quanto psicológicas (experiências traumáticas ou conflitos inconscientes) e, em alguns casos, da união de ambos os fatores.

Embora milhões de pessoas sofram com os problemas causados pelas disfunções sexuais, poucas são aquelas que procuram o tratamento adequado.     Nos dias atuais, em decorrência da evolução contínua dos medicamentos, do aprimoramento das técnicas cirúrgicas e dos excelentes resultados obtidos pelas técnicas de psicoterapia, as disfunções sexuais são passíveis de altos percentuais de resolução.  A dificuldade para iniciar o tratamento, seja por falta de oportunidade, vergonha ou medo de enfrentar os resultados é o grande obstáculo a ser vencido.