Incontinência urinária

 

incontinencia_urinariaA incontinência Urinária é a perda de urina involuntária. A maioria das pessoas acreditam que a incontinência urinária é um problema normal que surge com o envelhecimento. Mas isso não é verdade, ela pode atingir também indivíduos jovens e  pode ser controlada e tratada. Existem quatro tipos de incontinência:

Incontinência urinária de esforço: é a perda de urina que ocorre ao tossir, espirrar, caminhar, correr, pular. Ocorre quando os músculos do assoalho pélvico (músculos que cobrem a cavidade inferior da bacia e sustentam os órgãos que estão no abdômen) são forçados durante esforço físico e se tornam enfraquecidos ou alongados demais. Isso leva a perdas urinárias em episódios, podendo ocorrer em gotas ou em grande quantidade. Não existem medicamentos para esse tipo de incontinência urinária e as recomendações de tratamento estão na fisioterapia e na cirurgia.

Incontinência urinária de urgência: é a perda de urina associada a um desejo súbito e urgente de urinar. É o que ocorre na bexiga hiperativa, uma situação na qual o músculo detrusor (músculo que forma a bexiga urinária) se contrai involuntariamente mesmo se a bexiga não estiver cheia. Muitas vezes a pessoa tem que urinar com muita freqüência e, em algumas vezes, a urina escapa antes de chegar à toalete. Essa condição pode ser tratada de diversas maneiras, incluindo medicamentos, estímulos elétricos com equipamentos de fisioterapia, uso de toxina botulínica e implantes de estimulares elétricos nas raízes nervosas.

Incontinência urinária mista: algumas pessoas têm os dois tipos de incontinência urinária, ou tem sintomas que podem ser dos dois tipos e chamamos esta condição de incontinência mista. Algumas vezes são necessários exames mais específicos, chamados exames urodinâmicos, que ajudam a ter um diagnóstico preciso para escolher o melhor tratamento.

Incontinência urinária paradoxal: ocorre quando a bexiga está extremamente cheia e a perda urinária ocorre por uma espécie de transbordamento; o problema nesse caso é a incapacidade de esvaziamento da bexiga, mas o sintoma é a perda de urina. É o que ocorre em pessoas que perdem a sensibilidade da bexiga e não percebem que ela está cheia. Ou ainda em pessoas com obstrução crônica, como nos homens com crescimento da próstata. Nesse caso o tratamento consiste em melhorar o esvaziamento da bexiga.

A incontinência urinária não é somente um problema físico pois ela pode afetar aspectos emocionais, psicológico e a vida social das pessoas. Muitos que têm essa condição acabam com medo de fazer suas atividades diárias normais para evitar expor o seu problema, já que não conseguem ficar muito longe de um banheiro, e passam a evitar aglomerações de pessoas. Portanto, a incontinência urinária influencia diretamente na vida social do paciente.

CIRURGIA

Implante de sling na incontinência urinária feminina

Quando o tratamento conservador falha, é possível indicar o implante de sling na uretra (canal por onde passa a urina e que liga a bexiga ao meio externo). Esse tratamento minimamente invasivo nada mais é do que a introdução de uma fita de polipropileno (ou de tecido do próprio corpo da paciente) abaixo da uretra, por via vaginal, com o objetivo de aumentar a resistência uretral e reduzir a perda de urina.

Hoje em dia, é possível realizar este tipo de procedimento em regime ambulatorial (com possibilidade de alta no mesmo dia). O implante de sling sintético proporciona melhora da incontinência urinária em 70 a 90 % das pacientes. O médico urologista é um dos especialistas que podem orientar sobre a melhor estratégia cirúrgica e realizar o implante de diferentes tipos de slings para o tratamento da incontinência urinária de esforço.