Infecção urinária

 

infeccao_urinaria_recifeA infecção urinária é a presença anormal de microrganismos em alguma região do trato urinário. As principais causas são a relação sexual e a presença das bactérias do trato gastrointestinal que migram por via ascendente da região perineal até a bexiga. Raramente ocorre pela via hematogênica (circulação sanguínea). Dependendo da localização acometida podemos ter a cistite e a pielonefrite. A cistite é quando a infecção afeta a bexiga, enquanto a pielonefrite afeta o rim. Essa última possui sintomas mais severos.

A doença é bastante comum em mulheres e isso se dá, entre outras coisas, por elas terem a uretra mais curta, o que favorece a migração destes microorganismos patológicos. É mais prevalente na idade reprodutiva e nas mulheres que estão na menopausa, devido à queda do estrogênio e de micro-organismos que protegem a região genital.  Estimativas apontam que metade das mulheres vai apresentar pelo menos um episódio de infecção urinária durante a vida.

Os principais sintomas são a ardência ao urinar,  urgência para urinar, dificuldade de conter a urina,  vontade de urinar mesmo com a bexiga vazia e a presença de sangue na urina (hematúria). O tratamento se dá por meio de antibiótico geralmente durante três dias. Em gestantes, o tratamento deve ser feito sob rigoroso acompanhamento médico, pois há medicamentos proibidos durante a gravidez. Pacientes com episódios recorrentes podem ser submetidos a tratamento com antibiótico em dose menor e por tempo prolongado (profilático).

Hábitos higiênicos são úteis à saúde de modo geral e certamente oferecem benefícios à qualidade de vida. Em relação à infecção urinária, cuidados após evacuação e após a relação sexual são aspectos que devem ser considerados como medidas preventivas.  Mas exagero na limpeza local, além de causar irritação, também pode favorecer a instalação de bactérias locais e a infecção urinária, principalmente quando são utilizados desodorantes íntimos e/ou produtos com propriedades cáusticas e esfoliantes.  Evitar ficar longos períodos sem urinar, tomar líquidos em quantidades apropriadas (especialmente em dias quentes), combater a constipação intestinal (“intestino preso”) e praticar exercícios físicos também são ótimas medidas preventivas.